Maior participação privada no setor de petróleo e gás

Governo busca mais eficiência através de parcerias privadas.

Autoridades chinesas anunciaram recentemente um plano de reforma do setor de petróleo e gás do país, com vistas a melhorar a eficiência e a competitividade e dar ao mercado um papel decisivo no setor.

“O mercado deve desempenhar um papel decisivo na alocação de recursos, e o papel do governo deve ser levado mais a sério na salvaguarda da segurança energética, no aumento da produtividade, e em atender às necessidades do povo”, atestam as orientações da reforma. O plano refirmou o compromisso da China de aprofundar a reforma das companhias estatais de petróleo e gás, incentivando essas empresas a diversificar sua base de acionistas, aumentando as parcerias mistas com o setor privado. A meta principal da reforma é criar um mecanismo flexível e eficiente orientado para o mercado, com a incorporação de acionistas privados para melhorar a gestão das empresas de propriedade do Estado.

A reforma pede a participação das empresas do setor na prospecção e desenvolvimento de recursos de petróleo e gás, que costumava ser dominado por companhias estatais. O capital privado é bem-vindo para investimentos e gestão de instalações de armazenamento de petróleo e gás. As companhias de gás são incentivadas a separar os negócios de vendas e de oleodutos, passo a passo, a fim de promover um mecanismo de preços baseado no mercado. O mecanismo dos preços do combustível e diesel deve também ser mais orientado pelo mercado, e o governo deve intervir quando ocorrerem flutuações de preço anormais.

Sem Comentários ainda!

Seu endereço de e-mail não será publicado.