Lhasa reabrirá gradualmente instalações religiosas

Locais devem tomar medidas protetivas como inspeção de temperatura corporal e desinfecção frequente

600º aniversário do Mosteiro de Drepung é celebrado em Lhasa, em 2016.

Lhasa, capital da Região Autônoma do Tibet, no sudoeste da China, anunciou que reabrirá as 214 instalações religiosas que foram fechadas devido à epidemia do novo coronavírus. Os locais devem tomar medidas protetivas como inspeção de temperatura corporal, uso obrigatório de máscara e desinfecção frequente.

A Associação Budista de Lhasa informou na segunda-feira que todos os indivíduos que entrarem nos espaços religiosos devem mostrar seus códigos eletrônicos de saúde ou certificados de saúde, além dos cartões de identidade válidos.

O Tibet relatou apenas um caso confirmado da COVID-19 desde o surto da epidemia, que recebeu alta hospitalar após recuperação nos meados de fevereiro. A região não teve novos casos confirmados ou suspeitos por 60 dias consecutivos até domingo, segunda a comissão regional de saúde.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.