Laboratório espacial chinês reentra na atmosfera terrestre

O Tiangong-2 é considerado o primeiro laboratório espacial da China e ficou mais de mil dias em órbita, ultrapassando em muito a sua vida útil planejada

O laboratório espacial da China, Tiangong-2, reentrou na atmosfera terrestre na última sexta-feira, de acordo com a Agência Espacial Tripulada da China (CMSA, na sigla em inglês). Uma pequena quantidade de detritos espaciais caiu em uma zona marítima pré-determinada no Oceano Pacífico Sul.

A reentrada controlada do Tiangong-2 na atmosfera marca a conclusão bem-sucedida de todas as tarefas na fase especial do programa espacial tripulado da China, afirmou Zhou Jianping, projetista-chefe do programa espacial tripulado da China. Segundo a CMSA, estão sendo feitos esforços para acelerar os preparativos para construir a estação espacial chinesa.

O Tiangong-2, que é uma versão aprimorada do Tiangong-1, é considerado o primeiro laboratório espacial da China. Lançado em 15 de setembro de 2016, ele ficou mais de mil dias em órbita, ou seja, muito mais que os dois anos de vida que foram inicialmente planejados. O laboratório, que consiste em um módulo para experimentos e um módulo de recursos, tem 10,4 m de comprimento, diâmetro máximo de 3,35 m e peso de decolagem de 8,6 ton. Após a implantação de painéis solares, sua envergadura passou a ser de 18,4 m.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.