Iniciativa Cinturão e Rota impulsiona economia em torno da MTC

Empresas de medicina tradicional chinesa começaram a atuar com mais força no comércio internacional

A Iniciativa Cinturão e Rota, que foi implementada pela China em 2013 com o objetivo de estimular a conectividade de regiões chinesas e outros países do mundo e buscar a prosperidade comum, tem dado uma nova força à medicina tradicional chinesa (MTC). Sendo considerada uma riqueza nacional com mais de 2 mil anos de história, a MTC tem teorias e práticas únicas, como a medicina herbática, a acupuntura, a massagem e a dietética.

Há alguns anos, a empresa de MTC de Niu Hongwei, que fica em Weiyuan, na província de Gansu, vendia suas ervas apenas para as companhias farmacêuticas chinesas. “Nossos negócios deslancharam em 2013, após a Iniciativa Cinturão e Rota. Empresas e funcionários estrangeiros começaram a visitar a minha empresa para buscar oportunidades cooperativas”, lembra Niu. Weiyuan é um dos distritos pobres de Gansu e é conhecido por seus materiais medicinais, como a raiz de astrágalo e dangshen (Codonopsis pilosula).

Niu assinou um acordo com um comerciante da Coreia em 2016 e desde então, fornece ervas medicinais todos os meses para que a empresa do comerciante transforme em produtos cosméticos e de saúde. “Era inimaginável para as pequenas empresas como a minha, no oeste remoto da China, participarem do comércio internacional no passado. Agora temos mais oportunidades”, comentou.

A empresa farmacêutica Foci, com sede na cidade de Lanzhou, é outra que tem aproveitado a iniciativa para expandir seus negócios, tendo colaborado com 28 países e regiões no mundo e exportado centenas de tipos de ervas medicinais. Sun Yu, gerente geral da empresa, afirmou que eles esperam que a MTC possa ser incluída no seguro saúde pelos governos locais, para que mais pessoas possam se beneficiar dela.

Mas não foram apenas as ervas chinesas que tiveram maior demanda no exterior, uma vez que os serviços e a cultura da MTC também atraíram mais atenção ao redor do globo. O hospital afiliado da Universidade de Medicina Chinesa de Gansu tem trabalhado junto de um instituto médico no Brasil para criar um centro de MTC em São Paulo. O presidente do hospital, Zhang Xiaogang, afirmou que ambos os lados já entraram em acordo a respeito da localização e do treinamento de profissionais especializados. Em maio, 20 médicos brasileiros foram à China para participar do curso de capacitação teórica e prática de MTC.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.