Igualdade de gênero tem avanços na China

Dados do Departamento Nacional de Estatísticas mostram que as mulheres já representam 43,1% da força de trabalho do país

A promoção da igualdade de gênero tem progredido bastante na China nos últimos anos, especialmente quando o assunto á a participação das mulheres no desenvolvimento econômico nacional, na tomada de decisões e na administração dos assuntos sociais e estaduais. Segundo dados do Departamento Nacional de Estatísticas, as mulheres chinesas já respondiam, em 2016, por 43,1% da força de trabalho do país, número que supera a meta de 40% que havia sido estabelecida no Programa para Desenvolvimento de Mulheres Chinesas (2011-2020).

As estatísticas mostram que, no ramo dos negócios, a participação das mulheres cresceu, sendo que agora elas representam cerca de um quarto dos empresários do país. No Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh), o número de delegadas aumentou 1,14% entre a 18ª e a 19ª edição. A 13ª Assembleia Popular Nacional teve o maior número de representantes do sexo feminino, que representavam 24,9% do total de pessoas, uma alta de 1,5% em relação ao congresso anterior.

Além da participação política, o número de mulheres que estão recebendo educação também aumentou. Em 2016, o número de pós-graduadas era de mais de um milhão, superando pela primeira vez o número de pós-graduados do século masculino. Além disso, as universitárias representaram 52,5% do total no mesmo ano, sendo mais de 14,16 milhões.

A saúde das mulheres também melhorou significativamente, sendo que a expectativa média de vida das chinesas aumentou para 79,43 anos e a taxa de mortalidade materna do país caiu de 30 por 100 mil para 19,6 por 100 mil em 2017, o que fez com que a China se tornasse um dos 10 países de alto nível em termos de saúde de mulheres e crianças, conforme a identificação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.