Governo chinês reforça medidas contra dados estatísticos inflados

Regiões chinesas que fraudavam dados das suas indústrias foram divulgadas pelo DNE e responsáveis devem ser duramente punidos

O Departamento Nacional de Estatísticas (DNE) da China divulgou quais regiões do país tinham funcionários locais que inflavam os dados estatísticos do desempenho das suas indústrias e prometeu que adotarão linha dura e tolerância zero contra a prática, que é ilegal. Um novo regulamento para prevenir a fraude estatística foi adotado pelas autoridades centrais do país, sendo que tanto as inspeções quanto os reparos ficaram sob responsabilidade do DNE.

Na Mongólia Interior, uma das regiões em que foram identificadas essas violações, detectou-se que funcionários do distrito de Kailu inflaram os dados de negócios de 20 indústrias, 11 varejistas e 3 prestadoras de serviço, sendo todas elas importantes. Já em Lingwu, na Região Autônoma da Etnia Hui de Ningxia, algumas empresas e agências do governo usavam não apenas usavam dados falsos, como também apresentaram resistência às inspeções do DNE. Todos os casos foram transferidos para as autoridades relacionadas, sendo que o departamento ainda apresentou as sugestões de punição.

Ao combater as fraudes estatísticas locais, o governo central busca dar maior ênfase na autenticidade dos dados em meio à desaceleração econômica prolongada. De acordo com o DNE, eles estão fazendo um progresso nesse assunto e as estatísticas são geralmente confiáveis, apesar de ainda haver adulterações em alguns lugares. O órgão ainda prometeu aumentar as vistorias, melhorar os sistemas de responsabilidade, expor melhor os dados inflados e fortalecer a punição das empresas e indivíduos que realizam essas práticas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.