Governo chinês investiga fusão entre Didi e Uber

Em uma entrevista coletiva, o diretor do órgão responsável afirmou que país combaterá atividades monopolistas e que prejudicam os direitos dos consumidores

O órgão regulador do mercado chinês está investigando, com base na lei e nos regulamentos antitruste, a fusão de negócios entre a Didi (empresa chinesa de transporte e tecnologia, semelhante à Uber) e a subsidiária chinesa da própria Uber. A informação foi divulgada por Wu Zhenguo, diretor do Departamento Antimonopólio da Administração Estatal de Regulação de Mercado, em uma entrevista coletiva.

Wu afirmou que o governo está trabalhando para avaliar de maneira abrangente o impacto dessa fusão sobre a concorrência e o desenvolvimento da indústria, e garantiu que a China vai combater com firmeza as atividades monopolistas que prejudicam os direitos dos consumidores.

Segundo o diretor, o governo presta bastante atenção à concorrência na nova economia e adota princípios regulatórios inclusivos e prudentes, além de dar amplo espaço para a competição de mercado para fortalecer o ímpeto inovador em setores da internet, e consolidar regras regulatórias e sistemas. Wu também prometeu mais esforços para prevenir o monopólio e barreiras de mercado e para proteger os interesses do público.

As investigações antitruste da China são abertas e transparentes, segundo Wu, que ainda disse que 41% dos casos do tipo geridos pela antiga Administração Estatal de Indústria e Comércio são concentrados em empresas estatais, e menos de 11% afetam empresas estrangeiras.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.