Governo chinês apoia reforma da OMC, e não a criação de nova instituição

Ministério do Comércio afirma que a instituição é indispensável na batalha contra o protecionismo e o unilateralismo

A China apoia uma reforma na Organização Mundial do Comércio (OMC), desde que ela honre as regras da instituição, mas não apoia a criação de uma nova organização, de acordo com o que o porta-voz do Ministério do Comércio, Gao Feng, afirmou em uma coletiva de imprensa.

“A OMC não é perfeita e está enfrentando desafios tanto em sua autoridade quanto em sua efetividade em relação ao prevalecente protecionismo e unilateralismo”, afirmou, destacando o fato de a reforma ser necessária para ajudar o multilateralismo comercial a avançar com os tempos. “Ainda assim, o sistema de comércio multilateral, com a OMC como seu maior símbolo, tem sido indispensável na batalha contra o protecionismo, na promoção do comércio e no avanço do desenvolvimento sustentável”, completou.

Segundo Gao, a renovação não deve mudar as regras básicas da OMC e as mudanças não devem ser feitas para reverter a liberalização comercial. “Reformas não devem levar à criação de uma nova organização, e a China se opõe à imposição da vontade de membros individuais da OMC sobre os outros membros. As reformas devem ser baseadas no respeito mútuo, na igualdade e reciprocidade e deve ser dada a prioridade para as questões que ameacem a existência da OMC”, disse o porta-voz.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.