Executivo da Huawei diz que EUA precisam mais da empresa chinesa do que ela, deles

Segundo o diretor de segurança da Huawei, a proibição de Washington aos produtos da companhia prejudicará os EUA de maneira significativa

“Os Estados Unidos precisam da Huawei mais do que a Huawei precisa dos Estados Unidos”, disse Andy Purdy, diretor de segurança da gigante de telecomunicações chinesa, acrescentando que a proibição de Washington dos produtos da companhia prejudicará os próprios EUA de uma maneira “muito significativa”.

Purdy afirmou que cerca de 30% dos componentes dos produtos globais da Huawei são provenientes dos EUA e que, no ano passado, a Huawei gastou US$ 11 bilhões comprando tecnologias e componentes de cerca de 130 empresas estadunidenses. Sem as compras da Huawei, essas empresas americanas perderão, o que poderia afetar 40 mil empregos no país norte-americano, disse ele numa conferência de imprensa realizada fora do Telecom World 2019 da União Internacional de Telecomunicações (ITU).

Em maio, o governo estadunidense anunciou que “proibirá transações que apresentem um risco inaceitável” ao país ao declarar uma emergência nacional em que se alegou que a Huawei representa ameaças tecnológicas, razão pela qual declarou a imposição de restrições à venda e transferência de tecnologias estadunidenses à empresa chinesa.

Purdy ressaltou que, apesar disso, todas essas tecnologias já foram aprovadas após demonstrar que não prejudicam a segurança dos EUA, e que é por isso que a Huawei pode comprá-las e vendê-las globalmente.

Além disso, cerca de 40 operadoras de telecomunicações rurais nos EUA e dezenas de residentes rurais do país não ficariam felizes se não pudessem mais usar o equipamento da Huawei, uma vez que ele já se mostrou seguro e com preços competitivos, de acordo com Purdy.

Enquanto isso, a Huawei tem sido incrivelmente bem-sucedida sem ter uma entrada significativa no mercado americano, ressaltou o chinês, acrescentando que a Huawei espera dialogar com os EUA e que ela pede “confiança por meio da verificação”, uma vez que não há evidências de nenhum crime da companhia chinesa. “O bloqueio da Huawei não tornará os Estados Unidos mais seguros”.

Em relação aos componentes que estão sendo proibidos de comprar nos EUA, Yang Chaobin, presidente da linha de produtos 5G da Huawei, afirmou que a companhia chinesa começou a estabelecer um mecanismo de continuidade comercial há 10 anos. “O princípio da Huawei estabelece que para qualquer componente de nossos produtos, não dependeremos de nenhum país fornecedor”, disse Yang.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.