Estudo revela que nível de oxigênio no mar profundo aumenta há 600 milhões de anos

Descoberta é ponto-chave na evolução da vida na Terra

Uma pesquisa de paleontólogos chineses em parceria com cientistas dos Estados Unidos e da França mostrou que o teor de oxigênio no mar profundo aumentou há 600 milhões de anos, o que possibilitou o surgimento de organismos multicelulares. O estudo foi publicado na revista Geology.

Segundo Wang Wei, do Instituto de Geologia e Paleontologia de Nanjing da Academia Chinesa de Ciências, há oxigênio suficiente nos mares para atender às necessidades de plantas e animais, mas nem sempre foi assim.

Acredita-se que os oceanos modernos começaram a se formar há 450 milhões de anos. Antes disso, o ambiente do mar profundo oscilava entre a oxidação e a hipóxia, ou seja, baixo teor de oxigênio, disse Wang.

No entanto, após análise de amostras do mar profundo de 600 milhões de anos atrás, a equipe descobriu que o nível de oxigênio aumentou significativamente durante o período por causa da oxidação em grande escala. Isso é um ponto-chave na evolução da vida na Terra.

A conclusão dos pesquisadores também foi comprovada pela descoberta de fósseis com organismos multicelulares, finalizou Wang.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.