Estudo chinês alerta para riscos de diminuição de oxigênio em grandes cidades

Pesquisa investigou 391 municípios com mais de um milhão de habitantes

Uma equipe de pesquisa baseada na Universidade de Lanzhou investigou os balanços de oxigênio em 391 cidades ao redor do mundo com uma população de mais de um milhão de pessoas e estudou as preocupações sobre a saúde e o potencial para o desenvolvimento sustentável.

Os resultados mostram que as áreas urbanas, que cobrem 3,8% da área terrestre global, responderam por cerca de 39% do consumo de oxigênio durante 2001 e 2015, disse Huang Jianping, líder da equipe de investigação da Faculdade de Ciências Atmosféricas do universidade.

Estima-se que 75% das cidades com uma população de mais de 5 milhões tinham índices de oxigênio acima de 100. O estudo também revelou que a alta densidade populacional e a expansão urbana em grande escala não apenas aumentam o consumo de recursos naturais, mas também reduzem a estabilidade de um ecossistema.

“Além disso, com a falta de oxigênio, os moradores urbanos podem enfrentar uma ocorrência mais frequente de picos de temperatura extremamente altos e grandes diminuições de água”, acrescentou Huang. Os resultados do estudo foram publicados na revista Environmental Science and Technology.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.