Especialistas da OMS não descobrem origem do novo coronavírus

Hipótese mais provável é que um animal tenha transmitido a doença para humanos

A missão de cientistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para estudar a origem do novo coronavírus na China chegou ao fim. A equipe não identificou o início da pandemia, mas apresentou algumas possibilidades.

Peter Ben Embarek, coordenador do grupo, disse nesta terça-feira que a transmissão do vírus de um animal para outro e depois para o ser humano é a hipótese mais provável. No entanto, são necessárias investigações mais específicas para descobrir as espécies responsáveis pela propagação.

Outras suspeitas incluem a introdução da doença por produtos de cadeia fria, por transbordamento zoonótico direto e um incidente de laboratório, que é “extremamente improvável”.

A cidade de Wuhan é considerada o marco zero da pandemia por ter registrado os primeiros casos de coronavírus no fim de 2019. Liang Wannian, chefe da equipe de cientistas chineses da missão, afirmou que “não há evidências suficientes (…) para determinar se o Sars-Cov-2 se propagou em Wuhan antes de dezembro de 2019.”

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.