Especialista afirma que China já não tem escassez de dados de monitoramento ambiental

País acumula mais de três petabytes de dados de monitoramento acumulados a partir do sensoriamento remoto por satélite

“A era do big data para o monitoramento ambiental ecológico chegou”, afirmou Wang Qiao, membro da Academia Chinesa de Engenharia durante a terceira Cúpula Digital da China. Para o especialista, o país já não sofre mais com a escassez de dados de monitoramento ambiental.

A China tem atualmente mais de cinco mil estações de monitoramento automático da qualidade do ar urbano, cerca de 11 mil seções de monitoramento de águas superficiais, cerca de 80 mil pontos de monitoramento do solo, mais de 1.500 pontos de monitoramento de radiação, juntamente com quatro satélites de monitoramento ambiental em órbita, informou Wang.

“A análise de dados quantitativos proporcionará produtos e serviços valiosos”, disse. O especialista revelou que a quantidade acumulada de dados de monitoramento ambiental do solo excede 300 terabytes (TB), enquanto os dados de monitoramento acumulados a partir do sensoriamento remoto por satélite é superior a três petabytes (PB).

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.