Espanha entra na era 5G com ajuda da Huawei

A Vodafone lançou, ao lado da Huawei, os primeiros serviços de internet móvel 5G em 15 cidades espanholas

A empresa britânica de telecomunicações, Vodafone, ao lado da chinesa de tecnologia Huawei lançou recentemente os primeiros serviços comerciais de rede móvel 5G em 15 cidades espanholas. Dessa forma, a Espanha se torna um dos primeiros países europeus a ter essa rede móvel ultrarrápida, o que deixa os consumidores e profissionais do setor com altas expectativas.

Com os telefones celulares 5G, os usuários terão velocidades de download de até 1 Gbps nesse início e até 2 Gbps até o final do ano. O consumo de dados também aumentará, disse Eduard Martin Lineros, diretor do programa 5G da Mobile World Capital Barcelona, à Xinhua, enfatizando que o 5G permite que os operadores analisem a resposta dos usuários a essa tecnologia.

O gerente do programa Cidade Inteligente de Zaragoza, Daniel Sarasa, afirmou que a Huawei “tem uma excelente posição no mercado de infraestrutura na Espanha”, acrescentando que os EUA vêm adotando várias medidas protecionistas porque a Huawei os supera nesse campo.

A rede lançada pela Vodafone em cooperação com a Huawei cobrirá 15 grandes cidades, incluindo Madri, Barcelona, Valência e Sevilha, e, no futuro, o serviço será expandido ainda mais. Entre essas 15 cidades, 12 usam estações base da Huawei. O setor industrial tem altas expectativas para o 5G, pois com ele, poderá colocar em prática a condução automática, a telemedicina e a conectividade/Internet das Coisas.

Barcelona, a cidade que hospeda o Mobile World Congress, promove a iniciativa 5G Barcelona, cujo objetivo é transformar a cidade em “um centro digital para a validação e adoção de tecnologias 5G”. “É um passo importante para Barcelona ter uma rede comercial de 5G”, explicou Martin Lineros, observando que a implementação dessa tecnologia fornecerá melhores soluções para cidades inteligentes.

Fernando Tricas, vice-chanceler de tecnologia da informação e comunicação da Universidade de Zaragoza, disse que “o 5G e a resposta imediata serão fundamentais, por exemplo, para um médico realizando cirurgias remotas ou para a polícia controlar algo remotamente, será como se o fizessem no lugar e com suas próprias mãos”.

Luis Furnells, presidente executivo do Grupo Oesia, uma empresa de tecnologia espanhola que realiza tarefas de consultoria em tecnologia da informação e design de engenharia eletrônica em segurança e defesa, concordou que o 5G faz parte de uma revolução e apontou que o ele “finalmente vai dar pleno significado a conceitos como a mobilidade ou a Internet das Coisas”.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.