Empresários paulistas participarão de feira de importação em Xangai

Liderada pela FIESP, uma delegação com 120 empresários do estado se prepara para evento que acontecerá no início de novembro

Uma delegação de 120 empresários do estado de São Paulo irá participar da primeira Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, na sigla em inglês) que acontecerá em Xangai no início de novembro. A delegação, liderada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), é formada por representantes de empresas de diferentes setores, de processamento de alimentos a tecnologia aeronáutica. Desses empresários, 70 levarão produtos para expor em quatro dos cinco setores: pavilhão institucional do Brasil, alimentos e bebidas, serviços, bens de consumo e produtos de saúde.

A delegação chegará em Xangai no dia 2 de novembro e antes da feira, que acontece de 5 a 10 de novembro, participará de um seminário sobre cultura de negócios e questões culturais chinesas. “Queremos objetividade nas reuniões, nos focamos na concretização de negócios, tanto por venda direta como por estabelecimento de canais e redes de suprimentos. Algumas empresas também buscam acordos tecnológicos e formação de joint-ventures”, explica José Ricardo Roriz Coelho, o 2º vice-presidente da FIESP e líder da delegação.

“O que mais chama a atenção na China ao longo destas três últimas décadas é a velocidade da modernização e da profissionalização nos negócios e produtos. Não houve só agregação de valor aos produtos, mas também uma capacitação dos chineses para atuarem no comércio exterior”, avalia Roriz, que é empresário de plásticos e petroquímicos e visita a China regularmente desde 1987.

Segundo ele, a FIESP forneceu às empresas participantes apoio na preparação para a CIIE no último ano e vai trabalhar na exposição em cooperação com a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil), ligada ao Ministério das Relações Exteriores. A Apex-Brasil convidou um total de 87 empresas brasileiras para participar do CIIE, sendo 60 delas do setor de alimentos e bebidas. Produtos brasileiros como cachaça, café, pão de queijo, castanhas, itens de moda e produtos dentários estarão representados na feira, e a economia criativa será outro destaque.

Roriz acredita que é importante que os empresários brasileiros conheçam mais sobre a China, para que os negócios sejam agilizados. “O Brasil já exporta produtos de maior valor agregado para países como os Estados Unidos, pois os empresários já estão mais familiarizados com o país. Precisamos conhecer melhor a China para ampliarmos a pauta de exportações para a China também”, comentou.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.