Empresa espacial chinesa pretende fazer mais de 40 lançamentos em 2021

CASC se prepara para bater recorde

A China Aerospace Science and Technology Corporation (CASC), destaque da indústria espacial do país, divulgou um plano com mais de 40 lançamentos espaciais previstos para 2021, uma nova alta após o último ano.

A principal missão será construir a estação espacial tripulada da China. A expectativa é lançar o módulo central no primeiro semestre. Em seguida, os objetivos são os voos das naves de carga Tianzhou-2 e a nave tripulada Shenzhou-12.

A sonda de Marte, Tianwen-1, foi lançada em julho de 2020 e deve entrar na órbita do planeta em fevereiro. Em seguida, ela passará cerca de três meses pesquisando potenciais locais para pousar em maio.

O país também continuará a pesquisa da exploração lunar tripulada e promoverá o Sistema de Navegação por Satélite BeiDou (BDS) na aviação civil e em outros campos.

O ano de 2020 foi produtivo para o setor aeroespacial da China. A primeira missão a Marte entrou em operação, a sonda Chang’e-5 trouxe 1,731 kg de amostras lunares para a Terra, o país colocou em órbita o último satélite BDS e abriu o sistema para usuários globais, entre outras conquistas.

Wu Yansheng, presidente do conselho da CASC, disse que o ano passado foi “crucial para a construção da força da China no setor aeroespacial”, acrescentando que o número de lançamentos espaciais e testes de voo atingiu um recorde e a nova geração de veículos de lançamento teve um bom desempenho em grandes projetos espaciais.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.