Embaixador da China nos EUA diz que “desconexão” entre os dois países seria desastrosa

Cui Tiankai disse, em um evento que comemorava os 40 anos das relações diplomáticas dos dois países, que a economia mundial sofreria as consequências de tal “desconexão”

O embaixador chinês nos Estados Unidos, Cui Tiankai, afirmou durante uma recepção pelo 40º aniversário das relações diplomáticas entre China e EUA que uma “desconexão” entre os dois países seria desastrosa para ambas as economias e para a economia mundial em geral. Ele ainda disse que a China abrirá mais as suas portas aos EUA e que o país quer que haja mais cooperação em diferentes âmbitos.

Cui ainda pediu que os dois países continuem abertos um ao outro e sejam mais conectados. “Somos as duas maiores economias do mundo. Cada uma tem suas próprias forças. Cada uma complementa a outra. As duas terão oportunidades maiores se permanecerem abertas uma à outra. As duas serão mais prósperas se cooperarmos”.

O evento, que aconteceu na Embaixada da China e também visava comemorar o Ano Novo Chinês, contou com a presença de 750 convidados, entre eles o secretário de Comércio americano, Wilbur Ross, o diretor para assuntos asiáticos do Conselho de Segurança Nacional, Matt Pottinger, e diversos membros do Congresso.

O diplomata ainda convidou os Estados Unidos a participarem da 2ª edição do Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, que se realizará na China em abril. Desde que foram formalizadas as relações diplomáticas entre os dois países, em 1979, o comércio bilateral passou de US$ 2,5 bilhões para mais de US$ 580 bilhões em 2017, enquanto o investimento bidirecional passou de quase zero a mais de US$ 230 bilhões.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.