Embaixador da China no Brasil rebate acusações feitas pelos EUA

Yang Wanming afirmou que os comentários feitos pelo secretário de comércio dos EUA são absurdos e que visam lançar calúnia sobre os produtos chineses

Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, lançou recentemente uma nota onde ele rebate as acusações feitas pelo secretário de comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, ao Valor Econômico sobre a China e a tecnologia 5G. “O Sr. Wilbur Ross […] fez comentários absurdos de que o governo chinês obriga empresas privadas a cooperar com os serviços militares e de inteligência, e a tecnologia de 5G da China ameaça a segurança de outros países”.

“Tais palavras são totalmente desfundamentadas e inventadas. Com intenções escondidas, esses comentários visam lançar calúnias sobre produtos chineses alegando riscos de segurança, e atrapalhar a cooperação econômica-comercial entre a China e os demais países do mundo”, disse ele no documento.

Yang ainda disse que “as autoridades norte-americanas recorrem com frequência a meios políticos para interferir nas atividades econômicas, produzindo sucessivas mentiras, o que viola gravemente a ordem justa e equitativa de cooperação econômica mundial”.

O embaixador ressaltou que a China sempre incentiva e orienta as suas empresas a respeitar rigorosamente as leis e as regulamentações nos países onde operam, nunca exigindo que as empresas chinesas pratiquem atividades que violem tais leis e regulamentações.

A Huawei é a chinesa gigante da tecnologia que está no centro da guerra comercial entre os EUA e a China. A empresa opera em mais de 170 países e “atende a mais de um terço da população do mundo e tem mantido um excelente histórico de segurança”, disse Yang. “A Huawei já está instalada no Brasil há mais de 20 anos, a segurança e confiabilidade dos seus equipamentos e serviços têm sido reconhecidos universalmente. Os fatos falam por si e serão as melhores ferramentas para desmentir os ataques mal-intencionados, e convencer a comunidade internacional a tirar a conclusão correta”.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.