Eleições de meio mandato nos EUA são marcadas por medo de terrorismo doméstico

Legisladores e eleitores consideram possibilidade de secessão para evitar violência

Créditos: Xinhua/Liu Jie

O aumento da tensão política entre democratas e republicanos antes das eleições de meio de mandato de 2022 nos Estados Unidos,  juntamente com o crescimento do extremismo de apoiadores de extrema-direita pode ser responsável por mais situações de violência e até mudar o país como o conhecemos, de acordo com uma reportagem publicada pelo site americano Business Insider.

“É possível que haja outros casos de violência como vimos em 6 de janeiro”, disse Carole Emberton, professora de história da Universidade de Buffalo especializada na Guerra Civil Americana, ao citar a invasão ao capitólio.

“Quando você tem políticos que estão irritando todo mundo e policiais que são meio insossos ou fracos em sua resposta, então eu acho que você tem uma mistura realmente volátil que encoraja esses tipos de grupos a continuar com o que estão fazendo”, ela afirmou ao site.

Segundo o texto, diversos legisladores republicanos defenderam a separação de seus estados dos Estados Unidos nos últimos meses e eleitores também têm a secessão em mente. O pensamento está ligado ao medo de novas ondas de terrorismo doméstico.

“A ameaça de violência é real”, afirmou Mary McCord, diretora executiva do Instituto de Defesa e Proteção Constitucional do Centro de Direito da Universidade de Georgetown. “Existem indivíduos perigosos por aí que estão ligados à ideologia extremista e que as forças da lei e o público precisam se preocupar em cometer atos de violência, individualmente ou em grupos, principalmente contra o governo.”

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.