Eixo histórico de Beijing busca status do Patrimônio Mundial

O projeto para preparar o eixo histórico para sua solicitação de Patrimônio Mundial está atualmente sendo feito.

O histórico Zhongzhouxian norte-sul de Beijing, ou seja, o eixo central da cidade, irá se candidatar ao estatuto de herança mundial em 2035, anunciou a administração municipal do patrimônio cultural nesta quarta-feira.

Um total de quatorze locais históricos ao longo do eixo, incluindo Qianmen, Cidade Proibida, Parque Jingshan, Torres do Tambor e do Sino, Salão Memorial do Presidente Mao Zedong, Monumento aos Heróis do Povo e Praça Tian’anmen são identificados como importantes sítios de patrimônio.

O trabalho de preservação desses locais deve atender aos requisitos da solicitação até 2030, disse Shu Xiaofeng, diretor da administração.

Criado primeiramente na dinastia Yuan (1271-1368), o Zhongzhouxian original era de 3,7 quilômetros. As dinastias Ming (1368-1644) e Qing (1644-1911) estenderam o comprimento para 7,8 quilômetros, de Yongdingmen no sul até as Torres do Tambor e do Sino no norte.

Situado no centro da cidade, Zhongzhouxian separa os distritos de Dongcheng e Xicheng. “É como a espinha vertebral da estrutura espacial urbana de Beijing”, disse Li Jianping, historiador da capital chinesa.

As autoridades de Beijing anteriormente introduziram um plano geral para o desenvolvimento de Zhongzhouxian de 2016 até 2035. O projeto para preparar o eixo histórico para sua solicitação de Patrimônio Mundial está atualmente sendo feito.

“A aplicação visa melhorar a proteção da história e cultura da cidade”, disse Shu.


Fonte: Xinhua
Imagem: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.