Doria busca aproximar estado de São Paulo da China

Em visita ao país asiático, o governador de São Paulo inaugura escritório em Xangai e busca investimentos para o estado brasileiro

Participação do Governador de São Paulo, João Doria, no seminário Doing Business in São Paulo and China (Fazendo negócios em São Paulo e China), em Pequim. Foto GOVESP

João Doria, governador do estado de São Paulo, que está em visita à China até o dia 11 deste mês, afirmou que o investimento chinês é uma oportunidade para o Brasil. Segundo ele, a visita tem como objetivo promover a cooperação comercial entre São Paulo e a China, de modo a produzir mais negócios e criar mais empregos para a metrópole brasileira.

“Essa viagem foi realizada para abertura de novas frentes de negócios entre São Paulo, Brasil e a China e obviamente tendo o escritório da InvestSP em Xangai como grande ativador desses negócios bilateralmente”, disse ele.

O governador está chefiando uma comitiva empresarial em visita à China que tem destinos marcados para Pequim, Xi’an e Xangai, e também veio para participar da cerimônia de abertura de um escritório da InvestSP, Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, em Xangai. Esse é o primeiro escritório comercial no exterior de São Paulo e ele deve desempenhar um papel de relevância na promoção do comércio bilateral e nas cooperações de investimentos.

De acordo as informações divulgadas numa coletiva de imprensa realizada na segunda-feira, a comitiva celebrou reuniões durante o dia com o Banco da China, CRCC e Fundo de Cooperação Industrial para Expansão e Capacidade Produtiva Brasil-China, além das agendas paralelas relativas às cooperações bilaterais relacionadas à exportação de etanol do Brasil e de calçados de alto valor agregado para a China.

Segundo Henrique Meirelles, Secretário da Fazenda e Planejamento, a reunião com o Banco da China foi bem produtiva, levando em consideração os entendimentos alcançados sobre o financiamento para as obras de mobilidade urbana, como metrô, rodovias, hidrovias, além de um consenso preliminar a respeito da estrutura de garantia, que poderia ser constituída pela rentabilidade de um projeto, considerado pelo secretário como uma montagem bastante bem-feita.

No encontro com a CRCC, empresa estatal gigante do ramo de construções, que aparece em 48º lugar entre as 500 maiores empresas do mundo, a empresa teria demonstrado interesse claro em investir nos programas de despoluição dos rios Tietê e Pinheiros, segundo Doria.

Ao falar sobre a Iniciativa do Cinturão e Rota, Doria disse que é uma medida adequada e acertada e que compartilha a visão do governo chinês de uma abertura ainda maior da economia chinesa ao mundo, e o Brasil não pode ficar fora desse contexto. Henrique Meirelles, por sua vez, disse que a iniciativa chinesa e a proposta do governo paulista de desenvolvimento e infraestrutura se complementam e que a participação chinesa nos projetos da cidade será muito importante e produtiva e alavancará novos projetos.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.