Diretor da OMS afirma que COVID-19 está em declínio na China e elogia esforços do país: “É impressionante”

Governo chinês faz doação de US$ 20 milhões à entidade

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou nesta terça-feira que os casos de coronavírus na China estão em declínio significativo.

O pronunciamento aconteceu após a assinatura de um acordo com Chen Xu, representante permanente da China no Escritório das Nações Unidas em Genebra, sobre a doação de US$ 20 milhões do país à OMS. A finalidade da verba é cooperar no enfrentamento da epidemia.

“O que vimos em termos de experiência da China é realmente impressionante. Agora, o surto no país está em declínio, e há um declínio significativo. O vírus está abatido, e em um recuo. Estamos muito felizes”, afirmou o chefe da OMS.

Ghebreyesus também expressou apreço pelo rápido movimento da China em identificar e sequenciar o patógeno do novo coronavírus e compartilhar a sequência com o resto do mundo, permitindo a preparação de testes, diagnósticos e outras ações de resposta.

“Esse vírus é muito contagioso e é novo, mas ainda pode ser contido. A experiência que temos até agora da China é que a contenção é possível”, destacou.

Segundo Chen Xu, a doação de US$ 20 milhões faz parte da resposta da China ao apelo da entidade, com o objetivo de ajudar os países com sistemas de saúde mais fracos a combaterem a propagação do vírus.

“Estamos no mesmo barco. Este é o momento de fatos, não de pânico; de racionalidade, não de rumores; e por último, mas não menos importante, de solidariedade, não de estigma”, observou o representante da China no Escritório das Nações Unidas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.