CoronaVac é eficaz contra variantes britânica e sul-africana

A vacina está em teste contra a cepa brasileira, segundo o Butantan

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, informou nesta quarta-feira que a CoronaVac já foi testada contra as variantes britânica e sul-africana e teve bons resultados. Ele também comentou que o imunizante está passando por testes contra a cepa brasileira.

Em entrevista coletiva em Serrana, no interior de São Paulo, Covas disse que “brevemente teremos os resultados e estamos muito otimistas que ela vai conseguir dar conta do recado”.

De acordo com Covas, a tecnologia usada na CoronaVac torna o imunizante menos suscetível à perda de eficácia diante de novas variantes. “A vacina de vírus inativado, como essa que o Butantan fez, é a que tem menor probabilidade de ser afetada pela variante”, garantiu.

Ele explicou que os imunizantes feitos com apenas um pedaço do vírus correm maior risco de não funcionar com outras cepas. “Se esse pedacinho muta, a vacina pode perder a eficácia”, disse.

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e está sendo envasada pelo Butantan. Além da compra de doses do fármaco, o contrato entre o laboratório e o instituto prevê a transferência da tecnologia para a produção da vacina no Brasil.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.