Comércio entre a China e o Chile tem crescimento

Frutas como cerejas, mirtilos, abacates e uvas estão entre os itens que a China importa do Chile

O comércio bilateral entre a China e o Chile tem crescido com fluidez durante os últimos anos, pelo que foi dito na 5ª Semana do Chile, que aconteceu em Xangai. Durante o evento, foi especificado que ambos os países têm amplo espaço para cooperação futura, tanto em termos de profundidade como de alcance.

As vendas de cerejas, mirtilos, abacates e uvas do Chile continuam crescendo em Xangai, uma vez que essas frutas são muito populares entre os consumidores chineses, disse Wang Wei, gerente-geral da empresa de comércio internacional Shanghai Huizhan. Atualmente o Chile é uma das maiores fontes de importação de frutas frescas da China.

As exportações chilenas de frutas para o país asiático cresceram cem vezes desde 2006, chegando a US$ 1,4 bilhão em 2018. De acordo com os organizadores do evento, no ano passado, 20% das frutas importadas pela China vieram do Chile. As exportações totais de alimentos do Chile para a China registraram um aumento de 48,8% ao ano, tendo chegado em US$ 2,4 bilhões em 2018.

Enquanto isso, o volume do comércio bilateral atingiu US$ 42,9 bilhões em 2018, um aumento de 345% em relação a 2006, quando entrou em vigor um acordo de livre comércio entre os dois países. Ao mesmo tempo, o investimento de empresas chinesas nas indústrias de energia, mineração, alimentos, serviços e outras indústrias do Chile aumentou mais de cinco vezes entre 2016 e 2018.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.