Cientistas têm fortes evidências de que coronavírus se originou naturalmente

“Não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que esse vírus não foi criado em laboratório”, afirmou um pesquisador da Stanford Medical School

Pesquisas expandidas realizadas nos Estados Unidos têm indicado que o novo coronavírus se originou naturalmente. “Não há razão para acreditar que isso tenha sido feito em laboratório”, afirmou Dr. Robert Shafer, professor de Doenças Infecciosas da Stanford Medical School, à rede norte-americana ABC News. “Existem muitas tensões na natureza que podem causar esse tipo de surto”.

O professor da Faculdade de Medicina de Tulane, Dr. Robert Garry, escreveu um dos primeiros estudos a refutar a teoria conspiratória de que o COVID-19 foi projetado como uma arma biológica. “Quando você transmite o vírus com essa mutação através de culturas celulares, na verdade você o perde. Portanto, não foi assim que poderia ter sido gerado”, explicou Garry.

O doutor e professor da Stanford Medical School, Dr. John Ionnidis, contou à ABC News que o único artigo científico que semeia dúvidas sobre as origens naturais do COVID-19 teve que ser retirado após ser repreendido pela comunidade científica. “A maneira como o vírus lida com si mesmo e se liga aos seus receptores, eles não sugerem nada que seja próximo da manipulação humana”, disse ele. “Não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que esse vírus não foi criado em laboratório”.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.