Cientistas chineses revelam origem do cálcio nas primeiras estrelas

Pesquisadores usaram laboratório subterrâneo mais profundo do mundo

Foto tirada em 18 de novembro de 2020 mostra o céu iluminado por estrelas sobre o Lago Nianhu, no distrito de Huize, da cidade de Qujing, Província de Yunnan, sudoeste da China. (Xinhua/Hu Chao)

Créditos: Xinhua/Hu Chao

Cientistas chineses revelaram a origem do cálcio nas primeiras estrelas usando o laboratório subterrâneo mais profundo do mundo na Província de Sichuan, no sudoeste da China, de acordo com um estudo publicado online na quarta-feira na revista Nature.

Em 2014, os astrônomos australianos observaram a estrela mais antiga já conhecida pelos seres humanos, uma estrela gigante vermelha do tipo K chamada SMSS0313-6708, na qual foram observados lítio, carbono, magnésio e cálcio. No entanto, a origem do cálcio na estrela permanecia um mistério.

O Laboratório Subterrâneo Jinping da China (CJPL, em inglês), que fica a 2.400 metros sob uma montanha na Província de Sichuan, começou a operar em dezembro de 2010.

Pesquisadores chineses realizaram experimentos relevantes em laboratório. Eles verificaram com sucesso a hipótese de que o cálcio vem de uma reação de ruptura chave do ciclo de carbono, nitrogênio e oxigênio (ciclo CNO), revelando a origem do cálcio na estrela.

O CJPL pode reduzir consideravelmente a influência dos raios cósmicos e fornecer condições únicas para a medição direta de reações nucleares importantes de interesse astrofísico, disse He Jianjun, da Universidade Normal de Pequim, o primeiro autor correspondente do artigo.

Revisores da revista Nature comentaram que o estudo é um grande sucesso experimental, e que fornece uma nova visão para futuros estudos de astrofísica nuclear.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.