Cientistas chineses desenvolvem nova ferramenta de edição de genes

Com a nova “tesoura genética”, que é mais segura e precisa, será possível aprimorar o tratamento de doenças raras

Uma equipe de cientistas chineses do Instituto de Ciências Biológicas de Xangai, subordinado à Academia Chinesa de Ciências, desenvolveu uma ferramenta de edição de genes que é mais precisa e segura que as atuais e deve encurtar o tempo necessário para a realização de experimentos clínicos. Os resultados da pesquisa feita pela equipe foram publicados na internet pela revista Nature.

Atualmente os cientistas usam a chamada “tesoura genética” para a engenharia do genoma, mas dessa forma existe o risco de danificar o ácido ribonucleico (RNA), o que aumenta o risco de câncer. A equipe, no entanto, desenvolveu uma “tesoura genética” chamada ABE (F148A), que pode cortar os genes com maior precisão e evitar que isso afete o RNA. Os pesquisadores explicaram que essa ferramenta pode ser usada para tratar doenças raras.

“Teoricamente, as ferramentas de edição de genes podem ajudar os pacientes a recuperar sua saúde, no entanto, como a segurança das ferramentas não pode ser garantida, apenas algumas ‘tesouras de genes’ estão sendo testadas”, disse Yang Hui, chefe da equipe. Segundo especialistas, a ferramenta desenvolvida pela equipe deverá ser usada no tratamento de doenças raras e graves, como a talassemia, a degeneração macular e a surdez hereditária.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.