Cientistas chineses descobrem que tanino do vinho ajuda a combater o coronavírus

Substância pode inibir enzimas-chave do vírus

Um estudo da Universidade de Medicina da China (CMU) revela que o tanino, encontrado em vinho, chá, vegetais e outros alimentos, pode inibir a atividade de duas enzimas-chave do novo coronavírus. A informação foi divulgada pela TVBS, rede de televisão de Taiwan.

O objetivo da pesquisa era identificar compostos naturais que possam ter um efeito sobre a Sars-CoV-2 e os taninos se mostraram eficazes para inibir o vírus. A substância tem antioxidantes e eliminadores de radicais livres, que têm efeito antiinflamatório.

O presidente da CMU e líder do estudo, Mien-Chie Hung, acredita que os taninos podem prevenir a infecção e controlar o crescimento do vírus. Além disso, ele afirma que o consumo de alimentos e bebidas ricos no composto podem melhorar a imunidade ao coronavírus.

Mien-Chie Hung explicou que, no futuro, os taninos podem ser desenvolvidos como um remédio para tratamento farmacêutico da doença.

Os compostos são facilmente encontrados em frutas como uvas e bananas, em chá, vegetais, no vinho, onde aparecem em alta concentração, entre outros.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.