Cientistas chineses descobrem proteína que ajudaria a curar câncer no fígado

A proteína SOAT1 pode causar a proliferação de células cancerígenas e a sua descoberta pode ajudar a explicar as características biológicas do câncer no fígado

Cientistas chineses identificaram uma proteína que causa a proliferação de células de câncer no fígado, de acordo com o jornal China Daily. Tal descoberta pode ser muito útil para o desenvolvimento de um novo medicamento anticâncer. O trabalho, que é uma parceria da Academia Chinesa de Ciências Médicas Militares com o Hospital de Zhongshan e o Hospital do Câncer em Pequim, foi publicado pela revista Nature.

Quando estavam estudando as proteínas de pacientes com câncer no fígado na fase inicial, os pesquisadores descobriram que a atividade da proteína SOAT1 pode afetar a estabilidade do colesterol em células de câncer, o que as faz proliferar e migrar. No estudo eles também descobriram que a avasimibe, uma inibidora da SOAT1, mostra potencial de ser um medicamento terapêutico orientado.

“Esse estudo explica por que o câncer no fígado mais precoce ainda pode se espalhar para o corpo inteiro mesmo de um a três meses depois da cirurgia. É de grande valor para pesquisar um futuro remédio e ajuda a explicar as características biológicas do câncer no fígado de forma que o tratamento mais efetivo pode ser selecionado”, explicou Fan Jia, diretor do Hospital de Zhongshan, afiliado à Universidade de Fudan.

O estudo é parte do China Human Proteome Project, lançado em 2014 para explorar novos formas de tratar grandes doenças endêmicas construindo perfis de proteoma humano biológico e mapeando todas as proteínas nos principais órgãos.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.