Cidades chinesas buscam incentivar separação de lixo doméstico

Xangai, que é uma das pioneiras nessa prática, publicou regulamentos sobre a classificação e reciclagem de lixo

Mais de 300 cidades chinesas de nível sub-regional ou superior começarão a exigir a separação do lixo doméstico em 2019, segundo um anúncio feito pelo Ministério da Habitação e do Desenvolvimento Rural. Até o final de 2020, serão estabelecidos sistemas de classificação do lixo em 46 grandes cidades do país, e Xangai, que é uma das pioneiras na implementação desse sistema, já experimentou muitos métodos novos para incentivar um estilo de vida mais verde.

Com a prevalência dos smartphones, muitas cidades na China, entre elas Xangai, estabeleceram um sistema de “conta verde”, onde cada vez que um residente despeja lixo em conformidade com os regulamentos, ele receberá uma quantidade de “pontos verdes”, que podem ser usados posteriormente na troca de bens. O sistema de incentivos melhorou bastante a participação, apesar de moradores ainda se recusam a fazer parte.

Com uma população permanente de mais de 24 milhões e uma flutuante varia entre 5 e 6 milhões, Xangai produz cerca de 26 mil ton de lixo por dia. A metrópole publicou recentemente um conjunto de regulamentos sobre a classificação e reciclagem do lixo doméstico e anunciou que eles serão implementados a partir de 1º de julho deste ano.

Esses regulamentos proíbem o uso de copos descartáveis pelas organizações do Partido e do governo de Xangai, produtos diários descartáveis fornecidos por hotéis e talheres descartáveis por restaurantes e serviços de entrega de alimentos, a menos que sejam solicitados pelos clientes. Os hotéis e restaurantes que não cumprirem os regulamentos poderão ser multados entre 500 yuans (US$ 74,7) e 5 mil yuans. Já os residentes que não separarem o lixo podem receber uma multa de 50 a 200 yuans.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.