Cidade chinesa exportadora de maiôs tem economia afetada pela interrupção global de turismo

Um a cada cinco moradores de Xingcheng trabalha costurando roupas de banho

Uma reportagem publicada pelo jornal The New York Times descreveu como a principal fonte de renda de uma cidade chinesa foi afetada pela pandemia de coronavírus.

Xingcheng, chamada de ‘a capital das roupas de banho’ da China, viu sua produção esfriar com a interrupção global de viagens e turismo.

A cidade, com 1.200 fábricas de maiôs, produziu o equivalente a US$2 bilhões em roupas de banho no ano de 2018. Um a cada cinco moradores trabalham no setor fabril.

“Talvez jamais na história recente houve tão pouca gente necessitando de um novo maiô. E assim, com as vendas na estação de pico já perdidas, as fábricas tentam sobreviver com as poucas encomendas, esperando que os governos do mundo controlem a epidemia”, afirma a publicação norte-americana.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.