Chinesa CGN compra 3 usinas de nova energia no Brasil

As três usinas (duas solares e uma eólica) ficarão localizadas no Nordeste brasileiro e terão capacidade energética instalada de 540 MW

A companhia chinesa CGN fechou um acordo com a italiana Enel para a aquisição do projeto de nova energia Gamma. O projeto é composto por três usinas localizadas no Nordeste do Brasil (uma eólica e uma solar no estado da Bahia e uma solar no estado do Piauí) e marca a entrada da empresa no mercado de energia limpa da América do Sul. Juntas, essas usinas somam uma carga de energia instalada de 540 MW.

A CGN também anunciou o estabelecimento formal de uma subsidiária no Brasil. “A CGN trará serviços, com base na CGN Brasil, para outros países sul-americanos, o que contribuirá para o desenvolvimento das indústrias de energia limpa da América do Sul”, afirmou He Yu, presidente de conselho.

O Brasil é um país rico em recursos de energia renovável. Atualmente ele depende majoritariamente da energia hidrelétrica, mas no futuro destacará o desenvolvimento das modalidades eólica e solar. Segundo o plano decenal brasileiro, publicado em 2016, a capacidade instalada planejada das energias eólica e solar será de 26 milhões de kW e 13 milhões de kW, respectivamente, até 2026.

A CGN é a maior companhia de energia nuclear da China e a terceira maior no mundo. Atualmente, os negócios internacionais do grupo se distribuem em mais de 20 países, sendo que no fim de 2018 os ativos no exterior respondiam por 18% da companhia, que já emprega mais de 4 mil pessoas fora da China.

Wellington Dias, governador do Piauí, disse que esses investimentos são importantes para o Brasil e, em particular para o Nordeste, que é uma zona tradicionalmente pobre do país. “Durante muito tempo o sol e o vento eram um problema, agora são uma oportunidade”, afirmou. Bruno Dauster, secretário da Casa Civil da Bahia, disse em entrevista à Xinhua que “desde 2015 vem sendo desenvolvido um trabalho de aproximação com grupos empresariais chineses e hoje os projetos estão sendo executados com investimentos chineses.”

A nova energia é um setor industrial importante do grupo, cujos negócios incluem energia eólica, solar, gás, biomassa e pilhas de combustível, entre as outras energias limpas. A CGN explora os mercados externos de energia limpa desde 2010 e conseguiu participação de mercado considerável no Sudeste Asiático, Egito, Bangladesh, França e República da Coreia.

Segundo He, a CGN irá cumprir suas responsabilidades sociais, contribuindo de forma proativa nos aspectos de preservação ambiental, construção de conjuntos habitacionais, honestidade nos negócios, caridade, entre outros, realizando cooperações mutuamente benéficas para a empresa e a sociedade local.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

  • Herson disse:

    China caminhando a passos largos e efetivos para dominar e controlar o globo. Avante China, e livre a América Latina desse câncer chamado Eua.