China usa cultura e turismo em combate à pobreza

Cada vez mais próximo do prazo para erradicar sua pobreza absoluta, o país pede mais esforços para aproveitar os recursos culturais e turísticos para alcançar esse objetivo

A China obteve em 2019 consistentes progressos na redução da pobreza por meio da promoção da cultura e do turismo nas áreas pobres do país, de acordo com o Ministério da Cultura e Turismo. Para isso, a pasta implementou uma série de programas, como o financiamento de instalações para atividades culturais nas aldeias pobres e a apresentação de obras da ópera tradicional chinesa nas áreas rurais para enriquecer a vida dos moradores locais.

O país destinou 35,71 milhões de yuans (aproximadamente US$ 5,13 milhões) em apoio financeiro para o estabelecimento de 263 oficinas de patrimônio cultural imaterial com o objetivo de impulsionar a geração de empregos. A pasta elaborou planos turísticos para 240 aldeias empobrecidas e atribuiu cerca de 3,3 bilhões de yuans para a construção de 329 de infraestrutura de turismo nas áreas pobres.

Quase 6 mil pessoas receberam capacitação para se dedicar à promoção de turismo e patrimônio cultural intangível nas áreas rurais. 2020 é o ano que a China estabeleceu para erradicar a pobreza absoluta e o ministério pediu mais esforços para aproveitar os recursos culturais e turísticos e obter novos êxitos na redução da pobreza.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.