China terá Internet das Coisas onipresente em 2 anos

Segundo livro branco da SGCC, a IoT fortalece a malha tradicional, pois melhora a eficiência e apoia a integração e a utilização de tipos diferentes de energias

Em dois anos será estabelecida uma Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) onipresente preliminar de energia, segundo diz um livro branco publicado pela State Grid Corporation of China (SGCC), nessa semana. Essa IoT é um sistema de serviço inteligente que faz pleno uso das tecnologias da informação modernas e técnicas de comunicação avançadas em todos os elos do sistema de energia.

A IoT fortalece a malha tradicional, uma vez que ela melhora a eficiência e apoia a integração e a utilização de tipos diferentes de energias, afirmou Wang Feng, um funcionário da SGCC. Ele disse que a companhia definiu 57 tarefas de construção e 25 projetos de demonstração este ano em um esforço para impulsionar a IoT inteligente e otimizar a gestão.

As tecnologias como internet móvel e inteligência artificial vêm sendo empregadas pela SGCC para criar uma rede elétrica mais inteligente em algumas partes da China. Em regiões como o município de Tianjin, a eficiência energética melhorou em grande medida e o consumo médio de energia por unidade de produção caiu, graças à utilização abrangente de energias eólica, solar e geotérmica, entre outras.

A SGCC disse que uma IoT onipresente de energia em pleno desenvolvimento deve ser instalada até 2024.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.