China tem plano de cortar o uso de plástico até 2025

Segundo documento divulgado, as proibições e restrições do uso de plástico de uso único acontecerão gradualmente, conforme um calendário de cinco anos

A China está com um plano ambicioso para proibir ou reduzir significativamente a produção e o uso de produtos plásticos que são nocivos ao meio ambiente nos próximos cinco anos para conter a poluição. O país proibirá ou restringirá gradualmente a produção, venda e uso de certos plásticos, promovendo suas alternativas biodegradáveis e de reciclagem, segundo um documento emitido pela Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR) e pelo Ministério da Ecologia e do Meio Ambiente.

Segundo o texto, até 2025, a China deverá controlar eficazmente a poluição plástica, reduzir significativamente a quantia de resíduos deste material em aterros sanitários de cidades importantes, estabelecer um sistema completo de gerenciamento e avançar no desenvolvimento de produtos alternativos. Até o final de 2020 será proibida a produção e venda de talheres de espuma plástica e cotonetes plásticos de uso único. 

O documento também reitera as proibições de produção e uso de sacolas plásticas finas e filmes agrícolas de polietileno, assim como de produtos plásticos com resíduos hospitalares e da importação de dejetos plásticos. Ele traz um calendário detalhado para os próximos cinco anos para reduzir o uso de embalagens plásticas e de pacotes descartáveis e não degradáveis.

Os canudos plásticos de uso único não degradáveis, por exemplo, serão proibidos no final de 2020, enquanto os talheres plásticos descartáveis e não degradáveis serão banidos dos restaurantes nas cidades. Até o fim de 2022, esta mesma proibição será estendida aos distritos. Até o final de 2025, o uso de talheres plásticos de uso único não degradáveis para take-out em cidades será reduzido em 30%.

Além disso, todos os hotéis e pensões devem parar de usar produtos plásticos descartáveis até 2025, enquanto os postos de serviços de entrega expressa e postais devem deixar de usar embalagens plásticas não degradáveis, fita plástica e sacos de tecido plástico descartáveis. Ao mesmo tempo, a China incentivará o uso de materiais alternativos, como produtos não plásticos e sacos de compras degradáveis, e pede esforços para a reciclagem e eliminação de resíduos plásticos.

Meng Wei, porta-voz da CNDR, disse numa entrevista coletiva que as autoridades chinesas aumentarão o apoio à elaboração de políticas e à pesquisa científica, além de intensificar a supervisão e a aplicação da lei a esse respeito. Os principais problemas no controle da poluição plástica serão supervisionados pelos inspetores ambientais centrais, de modo a melhorar as práticas de avaliação e responsabilidade, acrescentou.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.