China se torna signatária do Tratado de Comércio de Armas

Tratado adotado pela ONU estabelece normas para vendas internacionais de armas

O representante chinês na Organização das Nações Unidas (ONU), Zhang Jun, anunciou no início desta semana que o país asiático se tornou signatário do Tratado de Comércio de Armas.

Zhang afirmou em nota que a adesão “mostra a sinceridade da China em manter um regime internacional de controle de armas, apoiando o multilateralismo”.

O comunicado também revela que o país apenas permite a exportação de armas para estados soberanos e não para compradores não estatais.

O Tratado de Comércio de Armas foi adotado em 2013 pela ONU e estabelece normas para todas as transferências internacionais de armas convencionais, com a finalidade de impedir que sejam utilizadas para ações de terrorismo e crime organizado.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.