China se opõe a interferências de forças externas em assuntos internos da Venezuela

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China disse que o país pede obediência aos direitos internacionais

Lu Kang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, afirmou que o país asiático se opõe à interferência em assuntos internos da Venezuela por forças de fora e ao uso da chamada “ajuda humanitária” para alcançar propósitos políticos. Ele ainda destacou que a China quer paz e estabilidade na Venezuela e pede por obediência aos direitos e princípios básicos nas relações internacionais, salientando que “provocar a instabilidade ou até agitação na Venezuela e sua região não está de acordo com os interesses de quaisquer das partes”.

Os comentários foram feitos depois que os EUA e outros países na região, se aliando a oposição da Venezuela, declararam um plano para entregar uma “ajuda humanitária” ao país sul-americano, que foi rejeitado pelo governo venezuelano. “Mais uma vez, pedimos ao governo e à oposição na Venezuela que busquem uma solução política por meio de diálogo e consulta, dentro dos quadros constitucionais e jurídicos”, acrescentou Lu.

O porta-voz ainda solicitou à comunidade internacional que faça coisas verdadeiramente favoráveis para a estabilidade nacional e o desenvolvimento econômico da Venezuela e a melhora do meio de vida da população. “Esperamos que a comunidade internacional forneça ajuda construtiva para a Venezuela com a premissa de respeitar a soberania do país”, finalizou.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.