China se manifesta sobre venda de armas dos EUA a Taiwan

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores pede que seja interrompida a negociação

Após a aprovação dos Estados Unidos de uma possível nova venda de armas de US$2,4 bilhões para Taiwan, Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, fez um apelo para que os EUA a interrompam e avisou que serão tomadas as medidas necessárias para garantir a segurança e a soberania do país.

Na lista de armamentos estão inclusos 135 mísseis Standoff Land Attack Missile Expanded Response (Slam-ER), que possuem um alcance máximo de 270 km, lança-foguetes táticos e equipamentos de imagem para reconhecimento aéreo. 

O apelo foi feito durante uma entrevista de rotina à imprensa. O porta-voz ressaltou que essa venda pode gerar mais danos nas relações entre os dois países. Na segunda-feira, o governo chinês anunciou que serão aplicadas sanções às empresas envolvidas.

 

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.