China se coloca contra a Lei do Ato de Autorização da Defesa Nacional dos EUA

Projeto sancionado por Trump essa semana contém cláusulas negativas em relação ao país asiático

A China expressou o seu descontentamento com o governo estadunidense após o presidente norte-americano Donald Trump sancionar a Lei do Ato de Autorização da Defesa Nacional (NDAA, em inglês) para o ano fiscal de 2019. O país asiático já havia manifestado a sua oposição, especialmente porque o projeto inclui cláusulas como direcionar uma estratégia de todo o governo para a China e submeter a avaliação, além do plano de reforçar as forças de prontidão de Taiwan.

Lu Kang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, afirmou que “a China repetidamente deixou clara a sua posição e apresentou declarações solenes aos Estados Unidos”. Ele ainda acrescentou que o país pediu aos EUA que eles abandonem a mentalidade de Guerra Fria e o conceito de jogo de soma zero, para que tratem objetivamente de suas relações com a China.

Em seu comunicado, o porta-voz ainda pediu que os Estados Unidos adotem à política de Uma Só China e ao princípio dos três comunicados conjuntos, e que eles não implementem as cláusulas negativas em relação ao país asiático, para que as relações e a cooperação bilateral em áreas-chave não sejam danificadas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.