China reduz em 54% problemas de crescimento nas crianças em 20 anos

Segundo relatório da ONG Save The Children, o país subiu 80 pontos nesse período, passando de 861 para 941

A China reduziu em 54% os problemas de crescimento nas crianças de até cinco anos causados por má nutrição ou doença nas últimas duas décadas, de acordo com o Relatório Global da Infância 2019 divulgado antes do Dia Internacional da Criança, no dia 1º de junho, pela ONG internacional Save The Children.

Nesse período, a pontuação da China subiu 80 pontos, passando de 861 para 941, graças às reduções nas mortes e na desnutrição de crianças, pelo que explica o relatório. A comparação entre 2000 e 2018 se deu com base nos oito indicadores que medem uma boa infância: morte prematura, crescimento atrofiado, educação, trabalho infantil, casamento precoce, gravidez precoce, homicídios e deslocamento de crianças.

Nos 176 países e regiões avaliados, cerca de 1 a cada 4 crianças de até cinco anos tem crescimento atrofiado. Apesar disso, 2018 teve 49 milhões de casos a menos em comparação a 2000, com a taxa global de crescimento atrofiado caindo de 32,5% para 21,9%. A China e a índia, juntas, respondem por mais da metade da diminuição desses casos.

“É bom ver que a China tem feito progresso significativo na melhoria do acesso das crianças à nutrição diária e adequada nos seus primeiros cinco anos da vida”, disse Sebastien Kuster, diretor operacional da Save the Children China. Segundo os termos analisados pelo relatório, a vida dessas crianças tem melhorado em 173 dos 176 países desde 2000, sendo o deslocamento o único dos oito indicadores que está aumentando.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.