China recupera escultura de Buda que ficou perdida durante um século

Cabeça de Buda foi roubada na década de 1920

Uma escultura da cabeça de Buda foi recuperada pela China um século depois de ter sido roubada das grutas de Tianlongshan, informou a Administração Estatal de Patrimônio Cultural (AEPC) na última semana.

A AEPC identificou a peça pela primeira vez em setembro de 2020, quando ela apareceu em uma casa de leilões japonesa. Na época, a administração entrou em contato com o local pedindo para cancelar a venda.

Em seguida, a pasta falou com Zhang Rong, chinês que havia adquirido a estátua. No final de outubro, Zhang doou a obra ao governo de seu país. Ele disse que comprar a peça foi a forma mais fácil de devolvê-la à China, em vez de negociar com colecionadores estrangeiros.

Zhang afirmou que suas ações para ajudar a recuperar a escultura foram motivadas por patriotismo.

Na década de 1920, mais de 240 estátuas foram roubadas das grutas de Tianlongshan e levadas para o exterior. Hoje, elas se encontram em museus japoneses, europeus e estadunidenses ou foram compradas por colecionadores estrangeiros.

A cabeça de Buda, que chegou ao país no dia 12 de dezembro, foi a centésima relíquia recuperada pela China em 2020. A obra foi mostrada ao público por ocasião da Festa da Primavera e ficará exposta no Museu Lu Xun, em Pequim, até março. Depois, será arquivada no Museu da Gruta de Tianlongshan.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.