China quer trabalhar com o Brasil em parceria estratégica abrangente, diz chanceler chinês

Wang Yi fez comentários durante uma conversa telefônica com o novo ministro brasileiro das Relações Exteriores

O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse que o país quer trabalhar com o Brasil para promover uma parceria estratégica abrangente a fim de continuar fazendo novos progresso.

O comentário foi feito em uma conversa por telefone com Carlos Alberto Franco França, novo ministro das Relações Exteriores do Brasil no final de semana.

Ao parabenizar França por sua nomeação, Wang disse que como grandes países em desenvolvimento, representantes das economias emergentes e parceiros no BRICS, a China e o Brasil são forças importantes impulsionando a multipolarização do mundo e compartilhando interesses comuns.

A China, segundo Wang, sempre valoriza e desenvolve as relações China-Brasil de uma perspectiva estratégica de longo prazo, colocando o Brasil em uma das direções de prioridade para seus laços estrangeiros.

Os dois lados devem promover o crescimento estável do comércio bilateral e expandir ativamente a cooperação em 5G, economia digital, inteligência artificial e outras áreas. Acredita-se que o Brasil fornecerá um ambiente de negócio justo e aberto para as empresas chinesas operando no país, disse Wang.

Por sua parte, França, que agradeceu a Wang pelos parabéns, assinalou que as relações Brasil-China são de grande significado estratégico e que os dois países têm feito cooperação saudável em várias áreas.

Indicando que o Brasil está em necessidade urgente de vacinas e suprimentos médicos na luta contra a pandemia do coronavírus, França disse que seu país espera contínuo suporte da China.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.