China promoverá diálogo intercultural via patrimônio mundial, diz vice-ministro

País sediou 44ª sessão do Comitê da UNESCO sobre o tem na última semana

A 44ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO, que foi concluída na cidade de Fuzhou, leste da China, no sábado, alcançou bons resultados, e a China tomará o Patrimônio Mundial como uma ponte para promover os diálogos interculturais, disse Tian Xuejun, vice-ministro da educação da China.

Todos os membros do Comitê fizeram esforços combinados e contribuíram com sua sabedoria e força para superar o impacto da pandemia e estabelecer uma Lista do Patrimônio Mundial mais representativa, equilibrada e confiável, disse Tian, que também é o presidente da sessão.

O Comitê decidiu retirar Liverpool da lista do patrimônio mundial. Foi o primeiro local revogado nos últimos 10 anos, o que reflete a determinação do Comitê de salvaguardar o Patrimônio Mundial de acordo com os requisitos da Convenção, disse Tian.

Durante a sessão, uma série de eventos paralelos online e offline foram organizados por diferentes interessados, sendo um deles o Desenvolvimento de Capacidades África-China para Conservação e Gestão do Patrimônio Mundial, o que demonstrou as ações concretas da China para melhorar a sub-representação de sítios do Patrimônio Mundial de países africanos , de acordo com Tian.

A China fornecerá apoio aos países em desenvolvimento, especialmente nações africanas e pequenos Estados insulares em desenvolvimento, para estimular profissionais para a proteção do Patrimônio Mundial e cooperar com a UNESCO para organizar um fórum de capacitação sobre a nomeação e conservação do Patrimônio Mundial para os países africanos, de acordo com Tian.

 

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.