China promove o mandarim para reduzir a pobreza

Segundo o Ministério da Educação, ao eliminar as barreiras linguísticas, a educação do país é melhorada, o que, por sua vez, é importante para a redução da pobreza

O Ministério da Educação da China declarou que a popularização do mandarim ajudou mais pessoas pobres a melhorar as suas habilidades de comunicação e as suas vocações. Segundo Xu Xiaoping, funcionário da pasta, o uso de uma linguagem comum é importante para a educação, e esta é importante para a redução da pobreza.

As declarações foram feitas num simpósio sobre a redução da pobreza em Pequim e segundo o ministério, a China tem promovido o uso do mandarim nas áreas mais pobres com o objetivo de eliminar as barreiras linguísticas. Em 2018, o país publicou um plano de ação trienal que lista a popularização do mandarim como uma tarefa para o alívio da pobreza.

Até 2015, cerca de 73% dos chineses sabiam falar mandarim, bem mais que os 53% que falavam a língua em 2000. Enquanto isso, mais de 95% da população alfabetizada era capaz de usar os caracteres chineses padronizados. O país ainda lançou, em 1998, uma semana anual de popularização do mandarim, para promover a língua chinesa falada e escrita padrão, melhorar a alfabetização e desenvolver a cultura chinesa.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.