China promete macropolíticas mais fortes para anular impacto econômico da COVID-19

Algumas das medidas adotadas pelo país são o aumento da taxa de déficit fiscal e a emissão de títulos especiais do Tesouro

Para reduzir os custos de empréstimos e aliviar o choque econômico do surto do novo coronavírus, o banco central da China injetou liquidez no mercado por meio de recompra reversa de sete dias, enquanto cortou sua taxa de juros em 20 pontos de base.

Em reunião do Birô Político do Comitê Central do Partido Comunista da China, foi definido que um pacote de macropolíticas e medidas será introduzidos. Além disso, a China aumentará a taxa de déficit fiscal, emitirá títulos especiais do Tesouro, elevará a escala de títulos especiais para os governos locais e orientará a taxa de juros ao declínio no mercado de empréstimos.

“A China está estabelecendo um sistema de macro ajustes com políticas fiscais e monetárias sendo os principais métodos, aproveitando as sinergias das políticas relacionadas ao emprego, indústrias, investimento, consumo e desenvolvimento regional”, disse Bai Jingming, vice-presidente da Academia Chinesa de Ciências Fiscais, ao Economic Daily.

“No momento em que a economia mundial está sob a neblina da pandemia, a China manifestou sua posição de fazer esforços para estabilizar a economia mundial”, disse Zhang Yansheng, pesquisador-chefe do Centro de Intercâmbios Econômicos Internacionais da China. “Fortalecer a cooperação entre os países e avançar juntos deve ser o nosso próximo passo”.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.