China proíbe discriminação contra mulheres em recrutamento de trabalho

Como forma de aumentar as oportunidades profissionais das mulheres, país estabelece multa para empresas que infringirem essa lei e pode caçar licença dos recrutadores

Foram proibidas na China quaisquer tipos de práticas de discriminação de gênero na hora do recrutamento de trabalho, como forma de aumentar as oportunidades profissionais das mulheres no país. De acordo com um documento publicado pelo Ministério dos Recursos Humanos e Segurança Social e outras oito agências governamentais, não deve ser incluída nenhuma exigência em relação ao gênero do profissional nos planos de recrutamento ou entrevistas.

Outra proibição é a de perguntar o estado civil e a fertilidade dos candidatos durante as entrevistas, assim como no exame de saúde pré-emprego não serão permitidos testes de gravidez.

Aqueles que infringirem essa regra serão multados em 10 mil yuans (US$ 1.488), e se eles se recusarem a corrigir suas práticas, a multa subirá para 50 mil yuans (US$ 7.441). Além disso, as licenças dos prestadores de serviço de recursos humanos poderão ser revogadas por crimes graves, segundo o documento. A China irá construir um mecanismo para supervisionar os empregadores e oferecer assessoria judicial às mulheres empregadas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.