China planeja explorar regiões polares da Lua até 2030

A quarta etapa do programa Chang’e terá missões que buscam estudar a idade do solo lunar e descobrir se há gelo no lado oculto da Lua, entre outras coisas

A China tem planos para aterrissar e explorar as regiões polares do norte e sul da Lua até o ano de 2030, segundo um funcionário da Administração Nacional de Espaço da China (CNSA).  Durante a Conferência Mundial de Alfabetização Científica 2018, Li Guoping, diretor do Departamento de Engenharia de Sistemas da CNSA, anunciou que a China está planejando quatro missões para a quarta etapa de seu programa de exploração lunar.

Batizado como Chang’e,  nome de uma deusa da Lua, o programa chinês de exploração lunar teve início em 2003 e os seus primeiros três estágios incluíram órbitas e pousos na Lua para coleta de amostras de material lunar. De acordo com Li, o quarto estágio incluirá o envio de uma sonda lunar Chang’e-4 para o lado oculto da Lua no final de 2018, sendo que em junho passado um satélite de retransmissão para Chang’e-4 já entrou em órbita.

As três outras missões que farão parte desse quarto estágio irão trazer amostras lunares para a Terra pela segunda vez, pousando na região do Polo Sul e do Polo Norte, afirmou Li. Ele ainda revelou que a exploração do Polo Sul pretende estudar a idade do solo lunar e a composição dos isótopos de hidrogênio, carbono, hélio e oxigênio do vento solar; enquanto a do Polo Norte visa descobrir se existe gelo na área de sombra permanente da Lua.

O diretor ainda acrescentou que a China ainda está considerando a criação de uma estação de pesquisa científica na Lua e a implementação de mais missões de exploração com robôs e humanos em solo lunar no futuro.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.