China pede que EUA tratem relação sino-americana de forma objetiva e racional

O porta-voz das Relações Exteriores também pediu fim da interferência em assuntos internos

A China solicita que os Estados Unidos façam uma gestão objetiva e racional das relações entre os dois países e que se empenhem para recolocar no trilho do desenvolvimento saudável e estável.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian, comentou as recentes declarações do secretário de defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin. A autoridade estadunidense disse que o objetivo de seu país e dos aliados era garantir que estivessem reunidas as capacidades e os planos operacionais para uma discussão contra a nação asiática ou qualquer outra entidade que pretendesse enfrentar os Estados Unidos.

Zhao respondeu dizendo que a China sempre foi “um construtor da paz mundial, um contribuinte para o desenvolvimento global e um defensor da ordem internacional”. Além disso, o desenvolvimento do país significa uma força crescente para a paz e uma oportunidade, e não um desafio para o mundo.

Ele ainda garantiu que a China está comprometida em salvaguardar o sistema internacional, com as Nações Unidas no centro, bem como a ordem internacional baseada no direito, ao invés da ordem definida por países individualmente que visam manter a própria hegemonia.

Zhao afirmou que, na era da globalização, a formação de grupos contra nações específicas com base na ideologia é algo que enfraquece a ordem internacional. “Essa prática é impopular e não leva a lado nenhum”, completou.

O porta-voz pediu que os Estados Unidos encarem as relações com a China com a  mentalidade correta, de forma objetiva e racional, que parem de interferir nos assuntos internos e trabalhem com a China para promover a cooperação e a gestão de diferenças.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.