China pede que EUA se concentrem na cooperação

O porta-voz das Relações Exteriores também pediu para os EUA gerenciar as diferenças

A China espera que os Estados Unidos suspendam as restrições injustificadas, parem a supressão contra empresas chinesas e trabalhem com o país asiático para se concentrar na cooperação e gerenciar as diferenças, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, nesta quarta-feira.

Ele fez os comentários durante uma coletiva de imprensa sobre o Relatório de Pesquisa sobre o Clima Empresarial da China 2021, divulgado na terça-feira pela Câmara de Comércio Americana no país.

Segundo o estudo, as companhias estrangeiras na China estão confiantes com as perspectivas econômicas e consideram a nação asiática um destino de investimento prioritário.

O levantamento revela que 75% das empresas pesquisadas estão otimistas com as perspectivas de mercado no país para os próximos dois anos e 81% esperam que seus negócios cresçam no território chinês em 2021.

“Este relatório é o mais recente testemunho da natureza mutuamente benéfica e ganha-ganha das relações econômicas e comerciais entre a China e os Estados Unidos”, afirmou Zhao.

O porta-voz ainda lembrou que muitas companhias estrangeiras fizeram comentários positivos sobre o ambiente de investimentos na nação. “Isso reflete a confiança que elas têm em relação ao mercado chinês”.

Ele acrescentou que a China vai continuar a aprofundar as reformas, expandir a abertura e trabalhar para um ambiente de negócios baseado no mercado, regido pela lei, e que esteja de acordo com os padrões internacionais, para que todas as empresas, incluindo as americanas, invistam no país.

“Esperamos que o lado americano também mantenha uma atitude aberta e inclusiva para buscar resultados ganha-ganha, suspenda suas restrições injustificadas, pare de reprimir as empresas chinesas, trabalhe com a China para focar na cooperação e gerencie as diferenças de modo a criar condições favoráveis para o desenvolvimento saudável dos laços econômicos e comerciais bilaterais”, concluiu Zhao.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.