China pede que EUA parem de vender armas para Taiwan

País asiático reprova aproximação militar entre EUA e a ilha

A China reiterou sua oposição às vendas de armas dos Estados Unidos a Taiwan e solicitou que o país norte-americano trate os assuntos referentes à ilha de maneira prudente e apropriada, afirmou Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, nesta segunda-feira em coletiva de imprensa.

Taiwan gastou US$ 11,8 bilhões em compra de armamentos desde o início deste ano, disse Hua. E acrescentou: “Mais uma vez enviamos esta mensagem firme aos Estados Unidos: a China contra-atacará resolutamente todas as tentativas que prejudicarem os interesses fundamentais da China e interferirem nos assuntos internos da China”.

O porta-voz também mandou uma mensagem para a ilha afirmando que a ‘independência de Taiwan’ é um beco sem saída. “As tentativas e ações para procurar a interferência externa e usar armamento para resistir à reunificação são fadadas ao fracasso”, completou.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.